Exame clínico ocupacional: eletrocardiograma

Exame clínico ocupacional: eletrocardiograma
3 anos atrás

A invenção do eletrocardiógrafo, em 1902, contribuiu para inaugurar uma nova era na Medicina.

A eletrocardiografia possibilitou conhecimento mais amplo acerca das arritmias e da cardiopatia isquêmica. Ao longo de sua evolução, consolidou-se e ganhou ampla aceitação entre os médicos.

Os eletrocardiogramas devem ser interpretados por cardiologistas, clínicos gerais e médicos que trabalham com urgências. Os profissionais devem ter a habilidade de definir, reconhecer e compreender as bases fisiopatológicas de algumas anormalidades eletrocardiográficas.

O que é?

Eletrocardiograma, ou como também é conhecido, ECG, é um exame que avalia a atividade elétrica do coração a partir de eletrodos fixados na pele. O resultado deste exame é registrado em gráficos que comparam a atividade cardíaca do paciente com o padrão, indicando se a atividade cardíaca está dentro da normalidade ou se há alterações nos músculos e nervos do coração.

Esse exame é realizado em um aparelho – o eletrocardiógrafo. Esse aparelho registra as alterações de potencial elétrico entre dois pontos do corpo, gerando uma imagem linear, em ondas de padrão rítmico, as quais têm significações clínicas particulares reconhecidas pelo cardiologista.

O eletrocardiograma é um exame simples, que não causa dor e, geralmente, é feito bem rapidamente.

O exame ocorre da seguinte forma: o paciente deita numa maca, de barriga para cima, tendo ao lado o pequeno aparelho portátil que constitui o eletrocardiógrafo. Em seguida, o médico colocará eletrodos justapostos à pele dos braços, pernas e tórax do paciente, que captarão os estímulos elétricos do coração ou as repercussões deles a distância.

Para a realização do exame eletrocardiograma, a pele do paciente deve estar bem limpa e desengordurada, principalmente, nos locais de fixação dos eletrodos. Para facilitar a captação desses estímulos é aplicado sobre a pele um gel condutor. Os eletrodos dos membros são fixados por braceletes e os do tórax por uma espécie de ventosa de borracha, permitindo aderência à pele sem o uso de agulhas ou outros instrumentos invasivos. A propósito, se o corpo do paciente tiver muitos pelos, uma depilação deve ser feita, e se a pele for oleosa deve ser promovida uma limpeza local com álcool.

Para que serve?

O eletrocardiograma é feito detectar arritmias, aumento de cavidades cardíacas, patologias coronarianas, infarto do miocárdio, entre outros diagnósticos. Depois dos 40, o eletrocardiograma deve ser executado periodicamente.  É pelo resultado do eletrocardiograma que outros exames podem ser solicitados.

Os pacientes que devem ser submetidos a exames de ECG são profissionais que trabalham em altura, que dirigirem veículos motorizados, que manipulam máquinas e que tiverem contato com eletricidade. Assim como profissionais que estão a ser contratados pelas empresas e os dispensados de suas atribuições.

Onde fazer?

A OpusMed é uma empresa que presta serviços na área de Medicina e Segurança do Trabalho, atuando na implantação e gerenciamento dos programas ocupacionais de nossos clientes, tendo como objetivo promover a saúde e bem estar dos seus trabalhadores.

Nossa equipe de SESMT é composta por Médica do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Fonoaudióloga, Técnica em Enfermagem e pessoal administrativo de apoio.

A OpusMed realiza todos os exames médicos que sua empresa precisa na nossa unidade em Santa Luzia e nos laboratórios conveniados.